24.4.12

Ponto de Cruz


Voltar a fazer ponto de cruz é voltar aos anos 80's e 90's!

Depois dos meus filhos nascerem nunca mais consegui fazer ponto de cruz, não conseguia concentrar-me, agora que eles já estão mais independentes vou tentar terminar este trabalho que foi planeado para ser oferecido a minha mãe, mas concluí que depois de moldurado vai ficar lindamente no meu atelier, por isso, esperem para ver!













Botões


Pulseiras para miúdas muito reverentes ou irreverentes!














 






Plastificados

A minha irmã pediu-me para fazer uns babetes para o João Maria, mas que fossem plastificados, pois ele baba-se muito e há necessidade de ele estar confortável.
Assim, aproveitei os tecidos plastificados que a minha amiga Mariana Paulo me trouxe do Ikea e com turco branco fiz uns para o João Maria e outros mais femininos, ou seja o plástico é em tons de rosa.
São muito práticos porque apertam com velcro!

Mais informações e para encomendar enviar @





















19.4.12

Sugestões para o Dia Mundial da Criança

Tinha-vos dito que estava a preparar algum para o dia da criança e aqui estão uns conjuntos de babetes e sapatinhos, um novo modelo de babetes bem diferente do que tenho feito, mas muito práticos.

Os babetes são reversíveis com turco, e os sapatinhos são forrados, com tecidos são 100% algodão.

Indisponíveis

Para encomendar enviar @





















Chapéus

Vocês não imaginam o prazer que me dá fazer seja o que for para os meus sobrinhos!

Há uns meses comprei um livro bastante interessante que continha alguns moldes, um deles era o molde de um chapéu de criança, assim a pensar que a minha irmã tinha necessidade de comprar um chapéu à Bárbara, antecipei-me e peguei numas calças de ganga velhas e comecei por cortar um chapéu de tamanho 3 anos, o tecido ainda sobrava cortei outro, mas como ainda havia mais tecido consegui cortar outro mas de tamanho 5 anos.
São forrados com tecido de algodão e com flor aplicada dos restinhos da ganga e botões forrados.















Para a minha sobrinha

De repente lembrei-me que no ano passado tinha comprado um fio para fazer um casaco à minha sobrinha, mas que nunca o fiz porque não gostei do efeito do fio trabalhado em tricô, confesso que não gosto nada de tricotar com algodões!

Por isso resolvi pegar no algodão e crochetar, no intervalo de trabalhitos por terminar, ou seja em dois serões lá fiz este bolero que me deu um enorme prazer fazer, de facto nas minhas mãos este fio presta-se para o croché, com o restinho de fio que sobrou fiz-lhe uma fitinha para o cabelo.






Ganchos

Há trinta anos já la dizia o meu pai, nada se deita fora tudo se transforma!
Uma proposta para o dia da mãe, ganchos feitos com aproveitamentos, neste caso com capsúlas de café.

Indisponíveis